17 de dezembro de 2009

A Explicação Opcional ou O Começo

Não posso dizer que estava no fundo do poço quando comecei este blog. Apesar da morte do meu pai, da mudança para um lugar de que eu não gostava, da perda do meu trabalho, das dívidas acumuladas, de um novo custo de vida, de ter que abrir mão do convívio constante com os amigos, de ter me afastado de uma amiga querida em particular, nunca achei que era o fim da linha realmente. Não sei escolher um pecado capital que eu cometa mais (acabo cometendo todos eles vez por outra), mas pude identificar uma virtude cardeal que me norteia: a Esperança. Mesmo nos momentos mais sombrios, sempre tive a convicção, ainda que tímida, de que dias melhores virão, de que o sol sempre volta a brilhar, e que sempre há oportunidade de recomeçar.

Prova disso é que estou aqui, dois anos e meio depois, tendo cruzado longas e tortuosas trilhas, mas ainda ansioso por trilhar outras tantas mais. Talvez ainda não tenha chegado ao patamar de autoestima que eu queria, mas no que se refere a autoconhecimento, deixando a humildade de lado, consegui bem mais do que eu esperava. Não posso deixar de registrar que a última lição, apreendida no início deste mês, também vai ajudar nessa próxima etapa da jornada. Quanto menos falar da sacanagem em si, e do seu catalisador, melhor, mas o que importa é: teve sua valia. Quando contei tudo para uma pessoa, ela me devolveu uma pergunta: "Mas esse tipo de coisa não é normal hoje em dia?", e eu não tive outra resposta para dar: "Sim, é normal. Comum, até." E isso me levou a outros questionamentos. Quero esse tipo de coisa para mim? "Não." Preciso desse tipo de coisa? "Não." Posso optar por não querer passar por isso de novo, não dessa maneira? "Sim!". E isso me trouxe uma paz de espírito como há muito não sentia. E uma segurança, uma confiança, por que não dizê-lo, de que o leme da minha vida está comigo, e eu posso levá-la para qualquer direção que eu quiser.

Por isso este capítulo, este blog, se encerra aqui. Os momentos que dividi aqui, para o bem ou para o mal, foram relatados de coração aberto, e sei que muitos outros momentos assim ainda estão por vir - o show não pode parar! Talvez daqui a três dias ou daqui a seis meses posso decidir retomá-lo. Ou não, hehehe... Mas não estou preocupado com isso agora. Não importa as surpresas que o futuro reserve, tenho plena certeza de que o que acontecer será para o melhor (vejam a Esperança despontando novamente). Mas não posso deixar de dedicar este texto a algumas pessoas que me testaram e me ajudaram, choraram e gargalharam comigo ao longo dessa fase.

À Cíntia, que me mostrou que cumplicidade de irmão não depende de laços sanguíneos. E por ter me ensinado que as dificuldades, não importa o quão quixotescas, podem ser enfrentadas e superadas.

À Camila, que me mostrou que é sempre possível recomeçar da prancheta de desenhos, e construir algo melhor a cada vez que se faz uma nova tentativa. E que o processo nunca termina, e por isso mesmo é a jornada, antes do resultado, que faz tudo valer a pena.

Ao Fábio, que me ensinou a enxergar o outro lado das questões, a valorizar as convicções que adquirimos sem deixar de lado a capacidade de adaptação. A dobrar com o vento, e não deixá-lo me quebrar.

Ao Daniel, que me ensinou que não dá pra gente se esconder das emoções indefinidamente, e que os momentos muito brilhantes e os momentos mais densos têm de ser vividos plenamente.

E até mesmo ao Fabiano, que, embora inadvertidamente e não da maneira que imagina, me forçou a encarar meus reais anseios e a agir para concretizá-los.

Claro que tem muito mais gente que merecia uma menção, mas foram tantas lições e exemplos, e distrações, e diversões que fica inviável colocar aqui. Mas aos que leram esta página, aos blogs que visito e comento, aos colegas de trabalho, aos familiares, apenas posso dizer: Muito obrigado!. E até a próxima.

4 de dezembro de 2009

Depois de (mais uma) semana estressante, em que eu estive particularmente na mira do meu chefe, hoje foi dia de cuidados médicos. Nada fora do comum, passei no dentista pra cuidar de uma restauração que caiu, e nisso foi a manhã inteira. Sala de espera de dentista é aquela coisa constrangedora: toda vez que a broca está funcionando parece que um arrepio coletivo percorre o ambiente. Agora à tarde foi o retorno na dermato, após dois meses do peeling. Agora o sufoco todo é apenas uma lembrança, e de acordo com ela a pele está bem melhor. Claro, se ela falasse que está pior é que eu me surpreenderia. Mas está bem melhor mesmo, preciso aceitar isso, rs... Agora é continuar cuidando, no more ácido retinóico, e lá pra março ou abril pra ver o resultado final. E também planejar e colocar em prática as outras etapas do meu projeto de funilaria, sem deixar em lado a parte mens sana da coisa.

2 de dezembro de 2009

Fui assistir no domingo, em um momento de quase desespero para expulsar alguns demônios interiores. Até que gostei do filme, mas foi praticamente tão bom quanto ver a fila para a sessão, o Espaço Unibanco lotado e todo mundo só na esperando pra ver esse, os tipos diferentes que estavam por lá... As cenas dos dois lindos atores se pegando também são bastante excitantes. Talvez a história tenha deixado um pouco a desejar, mas até que provoca algumas divagações, sim. Acho que vou esperar a parte 2 pra ver o que acontece a seguir, hahahaha.

2 de novembro de 2009

Diário de um Peeling, 1 mês. Peraí. Um mês? Onde foi parar esse mês? Passou muito rápido, mesmo. E pensar que há 30 dias eu estava voltando pra casa com o rosto cor de berinjela, depois mais uma semana com a pele esturricada feito terreno seco, mais uma semana com a pele cor-de-rosa, depois esses 15 dias com manchas marrons... Quem disse que é preciso sofrer pra ficar do jeito que a gente quer, estava coberto de razão.

Passei na dermato nesta sexta-feira, já que por conta do feriado ela não ia atender no sábado. Felizmente está tudo em ordem no trabalho, meu chefe não se importou muito com a minha ida. Dessa maneira, consegui ir mais rápido e sem surpresas desagradáveis. Chegando lá, foi tudo tranquilo. A médica passou uma fórmula (mais uma!) pra eu pedir numa farmácia de manipulação, e essa é pra remover os últimos resquícios do ácido da derme, e retomar a cor natural. Segundo ela, eu ainda não vi o resultado final do tratamento, a produção de colágeno recomeça agora, e ainda levará alguns meses pra atingir um estágio natural.

Mas, sinceramente, já estou bastante satisfeito. As cicatrizes e marcas de expressão mais fortes saíram, a cor já está bem normal, e o aspecto não assusta as pessoas quando eu saio na rua. De quebra, e paradoxalmente, aprendi a não ligar tanto para o que as pessoas estão olhando. Não é estranho? Depois de sair com a cara cheia de casquinha uma semana após o peeling, agora tudo o que vier eu encar na boua.

Como prova, ontem fui à Bella com os amigos, e curti muuuuito a noite. Engraçado, programas simples como ir comer um simples lanche num lugar sem frescurar é o que mais me diverte. Uma companhia agradável é a diferença. E tudo isso foi registrado, claro. Portanto, como eu estava devendo, eis o Fernando após um mês da primeira fase da reforma, descontadas as eventuais manchas, rsrs... Behold:

1 de novembro de 2009

Oi, novembro. O mês em que metade do tempo estamos preocupados com o que não deu pra fazer no ano, e a outra metade ficamos com preguiça porque o ano seguinte está logo aí. Esse é também o mote do momento atual que estou passando. Inclusive aqui com o blog, mas a vida é feita desses altos e baixos, então prossigamos.

Na vida profissional está tudo tranquilo, ao contrário dos últimos meses. Acho que aprendi a lidar com as pessoas e a domar um pouquinho meu ego. No fundo, o fato de eu me preocupar com detalhes tão insignificantes era o medo de que qualquer coisinha refletisse na minha reputação impecável (coisa que nunca foi), e que eu ficasse com pecha de fracassado (o que também não vai acontecer). Então eu pensei: mas vale mesmo a pena? Me estressar com essas coisas pequenas? Quando vi então que em algumas das companhias com a qual trabalho já existem pessoas que fazem uma tempestade numa gota d´água por causa de uns detalhes tão bobos... Decidi que não queria isso para mim. E olha, tenho conseguido manter. E a melhora no ambiente do escritório tem sido significativa.

Aqui em casa a coisa está um pouquinho mais complicada, mas caminhando. Tive uma briga séria com a minha mãe na última quarta-feira, e (como sempre nesses casos) por um motivo bobo. Mas acabamos superando, e o diálogo aumentou ainda mais como consequência. Não quero entrar muito em detalhes porque sempre que faço isso os planos mudam, a vida nos atropela e temos que mudar tudo em seguida. Vou esperar e deixar fluir, ver o que acontece.

O que mais posso registrar aqui? A pele tem melhorado bastante, amanhã quero fazer um post de balanço, após um mês do peeling. Os amigos tem estado presentes, uma fonte recorrente de conforto, thank God. O coração tá em stand by, como nos últimos tmepos. Nunca fui uma pessoa muito romântica, não é agora que vou mudar isso. Materialmente, bem... Colocando as contas em ordem já é um bom resultado. Este ano pude realizar a maioria das aquisições que vinha desejando há um longo tempo, então agora é recuperar as reservas para em 2010 continuar avançando, sempre em frente, sempre em frente...

20 de outubro de 2009

Não me adaptei com o layout anterior. Fica este até eu encontrar coisa melhor.

Ai, ai... Porque no Brasil não há muito espaço para uma seleção de Rúgbi? Acho de uma injustiça. Imagina algo semelhante ao Ben Cohen, por exemplo? Eu não sairia do estádio, acompanharia todos os jogos... Essas fotos para a Attitude não são um exemplo perfeito disso?











19 de outubro de 2009

Neste domingo aconteceu o GP de Fórmula 1 no Brasil. O dia para mim foi bem tranquilo, cheguei a encontrar os amigos e jogamos bastante conversa fora na região da Paulista, que não sei se por conta do evento estava bem frequentada demais! Quanto homem bonito, uma hora não sabia para onde olhar! Enfim...

A constatação que vale a pena registrar é como as coisas evoluem, e de maneira às vezes despercebida, de um ano para outro. Em 2007, ano em que minha família mudou de casa, no domingo da corrida eu tive que me abalar até os confins da Zona Sul, perto da casa da Cintia, para ir conversar com o cara pra quem ela vendeu o carro, que estava ainda no meu nome. Um suplício que se estendeu ainda por meses depois disso. Já em 2008, essa questão estava resolvida (embora eu ainda não viesse a saber disso por algum tempo), e a situação profissional bem mais estável. Mas o problema com os vizinhos from hell estava no auge. Tanto que, mesmo com a minha irmã e meu cunhado em casa eu simplesmente TIVE que sair para não enlouquecer com o barulho, fui para uns 2 shoppings e ainda fiquei andando pela Paulista sozinho, até a situação passar e eu poder voltar.

Este ano as coisas estão muito, muito melhores. O carro já não me assombra mais, apesar de minha situação no Detran estar nebulosa no mínimo. Como não pretendo voltar a dirigir nos próximos anos, isso não me aflige. Já os vizinhos tomaram um verdadeiro chá de sumiço. Desapareçam em pleno ar, e espero que não voltem tão cedo! Como nos próximos meses. Ainda tem tido umas festas no bairro, mas nada que incomode a ponto de fazer as janelas tremerem ou vá pela madrugada adentro.

Não posso nem reclamar da vida (muito!). Depois dessas férias, apesar de não ter viajado nem feito nada exótico, pude recarregar a paciência com o mundo em todos os aspectos. Pelo menos até o fim do ano, que não sou bobo nem nada. Importante agora é não perder o foco e manter o pensamento positivo. O que vier é lucro, claro, mas que venha tudo o que eu puder angariar. Mal posso esperar.

18 de outubro de 2009

Diário de um Peeling, semana 2. Eis que completo 15 dias do procedimento. Passaram rápido, com certeza, mas foram duas semanas de muita ansiedade. Felizmente, da casquinha marrom e da aparência grotesca só restaram lembranças. Agora a pele nova já está quase toda estabelecida, os machucadinhos que ficam da descamação curados, e a queratinização (umas lâminazinhas brancas que soltam da pele enquanto ela está se fechando) também pararam. Depois de toda a confusão de sexta para chegar no consultório, a dermato disse que está evoluindo tudo como previsto. Ainda bem!

Já estou liberado para fazer a barba e agora há pouco já tirei o projeto de cavanhaque que eu estava ostentando. Até que gostaria de deixar um pouco mais para ver como fica, mas tenho reuniões com clientes, e não tenho barba suficiente para fechar, sabe? Fica falho, e estraga todo o efeito. Enfim, não rola. Mas, já que não tenho muitos pêlos na cara, felizmente também não os tenho em lugares incômodos, como nas costas, p. ex. Ter que ficar aparando com máquina, como Bruno Gagliasso diz que faz, não seria muito legal. Tudo bem que é um preço pequeno a pagar pra ter um rosto como aquele, mas tudo bem. A César o que é de César.

Voltando ao peeling. Agora é hora de aparecer um pouco de hiperpigmentação, ou seja, nos lugares em que foi passado mais fenol, por conta de cicatrizes mais profundas, eu preciso aplicar um gel clareador três vezes ao dia para aliviar. A ideia é sair em no máximo 15 dias, quando eu tenho retorno na dermato. Ainda não será o fim do tratamento. A pele só volta a fabricar colágeno (preenchendo ainda mais os furinhos que ficaram de acne após o peeling) por volta de três a quatro meses depois do procedimento. Nunca pensei em desenvolver paciência como uma técnica, mas estou praticando isso nos últimos 15 dias e tem dado certo, na maior parte do tempo. Mas tudo bem. Um desafio de vez em quando ajuda a manter as coisas em perspectiva. Espero.

17 de outubro de 2009

A semana de volta ao trabalho até que foi bem agitada, então vou registrar de maneira resumida, se achar que alguma coisa vale um segundo texto, volto ao assunto.

- No domingo fui com uns amigos na Erotika Fair. Fomos conferir, ver se estava tão legal quanto no ano passado, uma vez que perdemos a edição do primeiro semestre e era a primeira vez que resolviam fazer duas no mesmo ano. Que fiasco! Se tinha 15 estandes no total era muito, coisas de sex shop para ver simplesmente não estavam à venda. A única coisa remotamente incomum era o cara que pinta com o pinto, e, sinceramente, tava dando mais aflição do que qualquer outra coisa. Depois, mais micos. Eu tinha sugerido de ir num restaurante de frutos do mar no Tatuapé, e quando chegamos lá o lugar não aceitava nenhum tipo de cartão. O velhinho (acho que o dono) teve a pachorra de sugerir que fôssemos até o caixa eletrônico a alguns metros. Saímos de lá correndo e fomos a um mexicano na mesma rua, uns bons quarteirões mais para baixo, o Don Miguel. Excelente comida, e o ambiente muito agradável. Vale a pena. De resto, conversa boa, muitas risadas volta tranquila, e por sorte nada demorada. Curti muito.

- Segunda foi o feriado, fiquei em casa com a família descansando e me preparando para a volta ao trabalho. Até fiquei um pouquinho tenso. Mas a terça-feira foi bem sussa. Comprei os remédios que minha mãe precisava, comprei a Junior deste mês, mandei fazer o clareador para o peeling, peguei a Coca-Cola nossa de cada dia, e fui pro escritório. Felizmente meu chefe está de férias até esta segunda também, então cobrança beem menor. Tive que colocar as coisas em ordem, claro, mas depois de duas semanas recarregando a bateria deu pra tirar de letra. Aliás, uma das lições que estou tentando incorporar de vez no meu repertório é não levar as coisas pequenas tão a sério. E não me deixar afetar por pessoas que gostam de fazer essas tempestades em copo d´água, principalmente.

- Quarta eu fui buscar um eletrocardioagrama da minha mãe em Santana, antes de ir pro escritório. Aproveitei pra me adaptar mais um pouquinho ao boné, acho que vou acabar gostando desse acessório. Depois comi um misto quente que tava passando vontade há tempos, e acabei chegando no mesmo horário no trabalho? Nem acreditei. Acho que vou ver apartamento por lá mesmo para mudarmos, porque eu cheguei em 20 minutos, e no mesmo horário em que eu tenho que sair quase duas horas daqui pra chegar lá!! Posso chorar agora, não?!

- Quinta eu fui conhecer uma sex shop. Fiquei frustrado por não ter conseguido nada decente na feira. Decente, sex shop, pegou? Acho que, como qualquer novato, estava esperando um ambiente de clandestinidade, como quando fui conhecer uma sauna. Que nada. Uma loja normal, com vários clientes, todos apenas interessados em fazer suas compras e seguir com a vida. Sim, saí de lá com um brinquedinho. Não, não vou contar o que é.

- Sexta também foi um dia tranquilo no trabalho. Meu cunhado ia tocar num barzinho à noite, mas eu ainda não tô a fim de curtir balada por causa do peeling. Eu ia ter retorno na dermato só no sábado, mas aí eu ligo na clínica pra confirmar o horário de atendimento (não precisa marcar, é só uma passada pra ela ver o andamento das coisas) e a atendente ignorante me diz que não tem esteticista no sábado, só ginecologia. Eu quase mandei ela praquele lugar, já achando que estava fazendo piadinha. Acabei saindo do escritório às 16hs, peguei um ônibus infernal de tão cheio, e demorei 2 horas! pra chegar do Itaim Bibi na Vila Nova Cachoeirinha. Chego lá às 18h em ponto, quase horário da médica ir embora... e ela me leva pra me atender na sala da ginecologia. A estúpida da atendente esqueceu de me dizer que a dermatologista também é ginecologista e endocrinologista! Que ódio. Podia ter ido sossegado no sábado. Enfim, acabei passando antes do que esperava. E está tudo evoluindo como o esperado, ainda bem!

- Este sábado foi tranquilo. Apenas saí com a minha mãe pra dar uma volta, olhar uns móveis na Penha, e na volta fui pra tosa. Isso porque tenho reuniões durante a semana, e minha juba já estava grande demais. Depois quase queimei as instalações elétricas da casa pra trocar as tomadas da sala, mas amanhã cedo vejo termino isso com mais calma. Ia a uma feira de quadrinhos, a FestComix, que está acontecendo lá perto da Paulista, mas com um amigo indo a um casamento, outro se sentindo um pouco mal, e essa chuva maluca de São Paulo, considerei um sinal do universo para ir amanhã. Isso depois de ir à feira, trocar a mangueira da máquina de lavar, limpar a confusão que deixei nas tomadas da sala...

E vamo que vamo!

13 de outubro de 2009

Voltando à programação normal. Retomar as atividades de onde paramos é difícil, mesmo porque todo o gás e disposição e dedicação que eu pretendia empregar na volta evaporaram quando dei o primeiro passo para dentro do escritório. Bom, não tudo. Mas como eu estava conversando com um amigo ontem, o que me estressou muito nos últimos meses foi querer levar às coisas a ferro e fogo, tudo muito a sério e sem levar em consideração o meu bem estar. Não dá, né? Aí cai satisfação, rendimento, é um horror. Agora vou levar as coisas mais tranquilamente. Sem fazer corpo mole, acho que não sei muito bem como fazer isso, mas mais tolerante e menos ansioso por demonstrar resultados.

Aproveitando fiz a ronda que eu tinha, comprei remédios para minha mãe, algumas revistas, carreguei meu cartão de bus, e encomendei o creme clareador pós-peeling. O trabalho pra valer deve começar amanhã, então por hoje é mais me readaptar a ficar aqui 9 horas por dia. Ainda bem que o meu chefe só volta mesmo de viagem na segunda-feira. Espero que a viagem de volta para casa agora também seja tranquila...

12 de outubro de 2009

Ai, nem acredito que amanhã eu já tenho que voltar ao trabalho. Parece que eu nem descansei nestas microférias! Mesmo porquê, esta última semana foi só de tensão com o peeling, não deu pra curtir descanso nenhum, buáaaaaa!!!! Enfim, é preciso trabalhar pra pagar as contitas, então vamos à labuta. Mas com muito menos estresse, e sem levar as coisas tão a sério, com certeza. Aliás, não vou deixar mais me abalar com gente que leva uma vida tão pequena que tem de fazer um cavalo de batalha com coisa tão pequena. Espero conseguir manter essa postura.

Pelo menos esse feriadão foi bem tranquilo. Fiquei em casa a maior parte do dia hoje, saí apenas pela manhã para fazer umas compritchas e abastecer a despensa. Ontem eu fui com os amigos na Erotika Fair, conferir se era uma boa realizar duas edições da feira no mesmo ano. Olha.... não! Que horror, que evento micado, gente. Péssimo. Acho que tinha no máximo 20 expositores. Tudo isso numa área micro, apenas estandes voltados para héteros, enfim, melhor concentrar tudo em um evento anual, porque do contrário dá nisso. Ninguém quer pagar duas vezes para um evento, o número de expositores cai, os visitantes ficam traumatizados por pagar um estacionamento carésimo e não aproveitar nada... Já viram onde termina essa história, né? Vale muito mais a pena passear numa sex shop bacana. Pelo menos lá tem a possibilidade de encontrar alguma coisa interessante, que não seja um cara que pinta com o pinto. E não, infelizmente não é um trocadilho infame, antes fosse...

Mas até que a noite foi boa depois disso. Acabamos indo em desabalada carreira para o Tatuapé. Eu tinha ido a um barzinho ótimo no dia das mães, com um rodízio de frutos do mar e sucos ótimos, o Bar do Paco. Mas quem pagou a conta daquela vez foi a minha irmã. Fiz até reserva desta vez, liguei para avisar que me atrasaria um pouco... E quando chegamos lá vimos que não aceitava NEM cartão de crédito nem de débito. Fala sério, quem nesse mundo ainda não aceita nenhum tipo de cartão? Resultado, fugimos de lá, descemos a rua e fomos parar num Mexicano ótimo. De decoração pelo menos. A comida deixou um pouquinho a desejar, mas a conversa foi ótima, estava todo mundo de excelente humor, e deu pra dar boas risadas.

Justamente o que eu precisava pra reunir forças e encarar o trampo amanhã. Ó, céus! Ó, vida!

9 de outubro de 2009

Diário de um Peeling, dia 7. Finalmente, é chegada a hora de voltar ao médico. Logo que cheguei, a assistente dela me cumprimentou, e disse que estava bárbaro. Claro que ela não ia falar que ficou ruim, mas gosto de pensar que é perceptível quando uma pessoa gosta do que vê e quando ela está sendo apenas... falsa. Depois de uma meia hora foi minha vez de ser atendido. Ela disse que está curando direitinho (yes!) e que é normal descamar a pele nova que está se reestabelecendo. E que toda a casquinha marrom tem que sair até o 10º dia, que é justamente quando eu tenho que voltar a trabalhar. Ok, vamos tirar as casquinhas, com muita água, camadas generosas de pomada e compressas de água morna. Depois, é usar o boné, passar o clareador e esperar a coisa se estabilizar. No próximo sábado tenho um retorno.

Então, voltando pra casa, esta é a situação com uma semana do peeling: praticamente toda a pele velha saiu. Apenas alguns ainda estão com as casquinhas, mas beeem menos do que ontem quando eu tive que encarar a rua. A região da testa e do queixo quase não recebeu o fenol, então já está restabelecida. Nas faces e têmporas, está bem vermelho, com uma certa descamação ainda. Ah, sim. Eu fiquei passando a pomada cicatrizante mesmo depois de soltar a pele velha, coisa que não precisava, talvez por isso essa descamação intensa. Mas tudo bem, dos males o menor. O inchaço já passou quase todo. Agora é passar o gel clareador para evitar manchas, e esperar a vermelhidão passar, o que deve levar alguns meses (!) ainda. Nesse meio tempo, segundo a dermato, a produção de colágeno da pele deve voltar, preenchendo qualquer furinho que ainda tenha ficado.

Mas posso dizer que estou satisfeito com o tratamento, sim. As cicatrizes de acne diminuíram significativamente, principalmente nas têmporas e na face direita. Acho que do lado esquerdo ainda deve ficar um pouco, mas uns 20% do que tinha antes (na minha leiga avaliação, claro). Agora é cuidar esses dias pra poder voltar ao trabalho com tranquilidade na terça-feira.

8 de outubro de 2009

Diário de um Peeling, dia 6. Putz, fiquei assistindo os últimos episódios da segunda temporada de TrueBlood e quase esqueci de postar aqui. Na verdade, não há muita novidade a contar. Estou bastante ansioso para voltar à médica e ver o que ela fala. Está sendo uma experiência... paradoxal, eu diria, esse peeling. Você faz uma coisa inegavelmente pela vaidade, ou pelo seu bem estar consigo mesmo para usar um eufemismo, e precisa suportar alguns dias em que não pode ter vaidade nenhuma para chegar a um resultado. Não é bizarro? E nesta sexta terei de encarar o mundo novamente (olha o drama!), com um lado do rosto ainda com casquinha, como se fosse de queimadura. Sei que vai soar superficial, mas vai ser um desafio, não ficar imaginando que todas as pessoas estão olhando para mim.

Ah, sim, com relação ao rosto propriamente, agora é esperar o resto da pele velha sair. E olha que ela está resistindo! Principalmente na região das bochechas, mas era mesmo onde eu tinha mais cicatrizes de acne. Do lado direito já saiu praticamente tudo, e a pele por baixo realmente está melhor. Ainda um pouco inchada e vermelha, mas sem os furinhos que tinha antes.

Três perguntas para fazer à dermatologista:
1. Já posso entrar de cabeça no chuveiro, lavando o rosto com água quente? Acho que isso vai ajudar a sair o resto da pele velha.
2. Quando vou poder fazer a barba? Porque esse projeto de pêlos no meu rosto não tá dando certo.
3. Filtro solar? Vai arder?

Vamos ver as respostas que ela me dará...

7 de outubro de 2009

Diário de um Peeling, dia 5. Meio indeciso em relação aos resultados. Toda a pele que sairia "fácil" já saiu. Resta uma casca bem dura, como de queimadura mesmo, um pouco nas têmporas e principalmente na face esquerda. Está bem craquelado (alô, Melissa Cadore!), mas não dá sinais de que está soltando. Pra completar, na região dos lábios e perto do nariz, está descamando muito, em lugares em que a pele velha já soltou. Me parece que nos lugares em que havia cicatrizes de acne muito profundas realmente houve uma melhora - e não posso me esquecer de que esse era o objetivo. Resta voltar ao consultório e ver se está tudo evoluindo normalmente...

6 de outubro de 2009

Diário de um Peeling, dia 4. Uma graaande virada no desenrolar dos eventos. Hoje o dia foi de descamação intensa, estou com a testa livre, queixo livre, enfim, a maior parte do rosto já livre da pele velha. Resta apenas a região das têmporas e as duas faces do rosto (coisa bizarra, né? "faces do rosto"... nunca entendi). Curiosamente, as regiões em que eu mais tinha cicatrizes da acne.

Nas partes em que já saiu, está bastante vermelho, mas não está ardendo. A médica disse que isso é normal, quando eu liguei. Acho que é mesmo. Nas regiões onde a pele velha ainda está firme, ainda estou com um pouco de ardência, mas nada insuportável. Acho que a substância ainda está agindo, mas lá pra quinta-feira já deve ter saído essa parte também. No frigir dos ovos, estou satisfeito com o resultado. Parece que as cicatrizes deram uma tremenda aliviada. Claro que só vai dar pra saber o resultado na sexta-feira, quando tenho o retorno na clínica, mas estou aqui, alimentando a Esperança, pra ver se ela cresce fortinha...

5 de outubro de 2009

Diário de um Peeling, dia 3. Sabe quando você vai fazer alguma coisa pela primeira vez, e no meio do caminho decide que não tá muito a fim, por puro medo? Pois é, estou nessa fase. Acho que é preciso autoconfiança e muita fé nos resultados e confiança no médico para que tudo dê certo. Acho que careço das três coisas. Enfim, vai passar, mas tá difícil.

Hoje começou a descamação intensa, o peel propriamente dito. Até aí, era esperado que começasse hoje mesmo, e aparentemente, na região do nariz, queixo e começo da testa, a pele realmente está lisinha por baixo. O problema é que eu não me contive, e tentei dar uma ajudazinha e puxei a pele. Sim, eu sei, toooodo mundo me disse pra não puxar, mas é um suplício você olhar sua cara no espelho, meio marrom, meio descascando, meio vermelha, e não querer pelo menos que fique tudo de uma maneira só que é pra poder enfrentar melhor...! Ufa, calma. Desopilei. Enfim, estou tentando me conter, e não sair puxando a pele que ainda não está pronta. Acho que estou conseguindo. E a médica me avisou que ficaria vermelho, sim, como que em carne viva, até a nova pele estar totalmente pronta.

E reafirmou isso quando eu liguei pra ela hoje à tarde, heheheh... Nunca disse que paciência é uma virtude. Mas estou vendo que não vou poder sair este fim de semana mesmo, apenas voltar ao trabalho na terça. Mas é por uma boa causa, vamos que vamos...

4 de outubro de 2009

Diário de um Peeling, dia 2. Hoje foi complicado, acordar com a pele do rosto toda repuxada, e mais marrom do que nunca. As dúvidas se está sarando como devem persistem, mas a descamação começou hoje por volta do dia, então estou mais tranquilo. Em termos.

Está um pouco difícil para comer, eu vou simplesmente abrir a boca pra comer e sinto a pele repuxar até perto das orelhas, dá uma sensação esquisita. Depois de dormir um pouco à tarde, quando fui passar a pomada, vi que já estava começando a soltar a pele do queixo e ao redor da boca. Bom sinal, a médica disse que essas regiões seriam as primeiras, principalmente pelo movimento constante. Realmente, a pele nova por debaixo está bem vermelha, e um certo prurido fica depois de soltar a antiga. A pomada também deve ajudar nisso.

Será que é pedir demais pra que o processo ande logo, e até sexta-feira eu esteja apenas cuidando da pele nova? Ansiedade, vosso nome é Fernando...

3 de outubro de 2009

Diário de um Peeling: dia 2. Ou seria dia 1, e ontem foi o dia 0? Whatever. O que importa é que hoje acordei e levei um susto, pois meu rosto tinha inchado durante a noite. Nada anormal, e a médica havia me avisado de que isso poderia acontecer. Mas que foi um susto acordar como dublê do Quico, admito que foi. Pelo menos tive uma boa prévia do que seria se eu estivesse acima do peso normal. Acreditem, me prefiro mil vezes magro.

Depois, o dia foi de arrumação aqui em casa, tudo que tire minha mente dessa sensação de estica-e-puxa no meu rosto. O aspecto da pele está mais estranho hoje. O tom arroxeado se foi de vez, agora está apenas marrom. Chegou a sair alguma pele na região das têmporas, mas acho que foi do suor durante a noite. Agora a pele está esticada, com a sensação de que está apenas uma camada por sobre o rosto mesmo. Tenho uma pomada que foi receitada pela médica para passar três vezes ao dia, que alivia bem essa sensação. Só não dá pra rir muito, e pra comer é um pouco ruim, porque a sensação de estar esticando além da conta a pele ao abrir à boca perturba um pouco.

Também tem me batido uma certa insegurança quanto à evolução do quadro. Será que vai sair tudo em até 6 dias mesmo? Será que a pele vai ficar por igual? Será que vou poder voltar a trabalhar depois do feriado? Deve ser normal ter essas dúvidas - embora, é óbvio, seja tarde demais pra voltar atrás. Pergunta para responder daqui a alguns meses: vale a pena? Faria de novo?

2 de outubro de 2009

E chegou o tão sonhado e esperado peeling. Fiz hoje pela manhã, com uma dermatologista indicada por uma amiga que trabalha com a minha irmã. E se eu nunca levei a sério que pra ficar bem às vezes é preciso sacrifício, estou corrigindo esse erro aqui e agora.

Sim, eu li e a médica me explicou que ia inchar, ia arder, ia ficar com uma cor estranha... Mas sentir literalmente na pele é outra coisa, claro. Arde moooito, incha bastante e o aspecto... bem, vamos dizer que eu estava parecendo uma beterraba até a tarde, mas agora estou MARROM! Note bem, não é bronzeado, nem mulato, nem nada que relembre sequer de longe uma cor de pelo comum. Eu estou marrom. Marrom, tipo madeira. Isso. Não estou maple, estou mogno, hauhauhauhauhua...Vamos ver o que os próximos meses nos reservam agora.

Ah, sim. Tem um efeito colateral interessante desse processo todo: vou precisar usar boné. Acho que nunca, em todos esses anos nesta indústria vital, usei um boné, gente. Vou pedir pra minha irmã comprar um pra mim, antes de voltar a botar a cara na rua. O que deve acontecer, se tudo der certo (e vai dar!) em 4 ou 5 dias.... Por favor, semana, passe logo!....

1 de outubro de 2009

Via Astrology Zone:

As mudanças nos céus deste mês serão dramáticas, e sua vida está prestes a receber um novo brilho nas semanas e meses que virão. Talvez a mudança mais dramática será a mudança de Saturno para a sua casa “do dinheiro de outros”, uma mudanças que melhorará de imediato sua conjuntura financeira.
Desde que Saturno entrou na sua casa de crédito, taxas, pensões e outros fundos, você tem sentido dificuldades financeiras. Março, por exemplo, foi um mês difícil, e setembro também. Esses dias difíceis estão terminados, por enquanto. Saturno retornará rapidamente a Virgem de 7 de abril a 21 de julho de 2010, então você ainda deverá ser conservador ao lidar com dinheiro, mas a partir do meio de 2010 você terá passado pelos desafios e educação monetária de Saturno até 2036.
Também neste mês Marte mudará para Leão por um longo e atípico período, de 16 de outubro a 7 de junho. Marte tem sido chamado de “marcador de tempo do Zodíaco” porque quando entra em uma certa área do mapa, ele a ilumina de maneira a puxar toda a sua atenção para essa casa e a área da vida que ela governa.
No seu caso Marte iluminará seu setor de parcerias, sugerindo que você estará ou focado em uma pessoa especial em sua vida particular e talvez firmar compromisso, ou se você já está casado estará bastante focado em seu companheiro. Nos negócios, você pode formar uma colaboração ou sociedade oficial. Como um aquariano, você prefere voar solo, mas nos meses que virão você se tornará mais aberto e possivelmente otimista em relação a juntar suas energias com a de outra pessoa. Profissionalmente, considere a possibilidade de que os outros terão algo importante pra trazer à mesa e que isso é algo de que você precisa – você ficará grato por ter encontrado essa pessoa!
Quando Júpiter, planeta da boa sorte, agora em Aquário, sair da inércia retrógrada em 13 de outubro, você verá uma grande virada para cima nos acontecimentos. Este será o seu melhor ano em doze em relação a ajuda cósmica, pois você está no processo de iniciar um novo ciclo. Desde que Júpiter entrou em recesso em 15 de junho você pode ter sentido que a vida esteve meio parada. A partir de 13 de outubro você estará de volta à jogada e ganhando velocidade com planos de uma maneira mais alegre. Na verdade, a primavera de 2009 será sua melhor época do ano. Júpiter permanece no seu signo até 17 de janeiro, o que dá bastante tempo para plantar as sementes dos seus maiores sonhos! Júpiter vai cuidar para que essas sementes cresçam além do esperado, como as de João e o Pé-de-Feijão!

27 de setembro de 2009

Como eu coloquei esses dias no MSN, nada como um dia após o outro. Mesmo. Depois do auge do mau humor na quinta-feira, parece que o sol reapareceu na sexta, não só do lado de fora da janela, como aqui dentro de mim também.

Decidi não ligar para as almas mesquinhas que me perturbavam no trabalho. Com meu merecido descanso se avizinhando, não valia perder tempo com isso. Simplesmente engoli alguns sapos, passei tudo adiante e pedi alforria. Felizmente, duas coisas ocorreram pra animar meu ânimo. Os colegas do trabalho decidiram me dar um presente de aniversário atrasado. Explico: quando mudamos para esse escritório, meu aniversário estava um mês distante, apenas. Acabou não se fazendo nada, mas depois, no aniversário de todos os outors colegas, fizemos vaquinhas pra dar presentes. Nada luxuoso, mas é o pensamento que conta, certo? Como eu fiquei pra trás, eles combinaram de me dar o presente quando eu saísse pra descansar. Não foi fofo? Também achei. E ainda teve um happy hour clandestino na hora de sair, com vódega e soda, pra completar. Muito bom. Ah, o presente na verdade foi um vale-presentes da Saraiva, visto que toda semana apareço com um livro novo lá e eles ficaram sem saber o que comprar. Peguei o Melancia, da Marian Keyes, que tava querendo ler faz tempo.

O restante do final de semana foi tranquilo. Ontem um rodízio de pizza com Daniel e Fabio no Viena do Shopping Paulista. Comida simples, mas muitas risadas, pontuadas de alguns momentos sérios e confessionais que têm me ensinado muito. Depois a Andreia, amiga do Dani, chegou lá. É engraçado, nós três temos nossas melhores amigas que de vez em quando chegam pra dar um tempero novo na mistura, é muito legal. Antigamente eu tinha essa besteira de não misturar turmas, achava que não tinha como dar certo. Cada ideia!...

No aniversário da Camila, mesmo. Fomos eu, ela, os meninos, mais Fabiano e seu namorado, o William. O local escolhido foi a Ludus, uma luderia que fica na Bela Vista. É um barzinho/café/lanchonete em que é possível alugar e experimentar inúmeros jogos. Uma diversão despretensiosa, e ficamos lá das 20h até a hora de fechar, 3hs da manhã. Melhor sinal de que a noite foi divertida, não é? Precisamos repetir qualquer dia desses.

Hoje, minha disposição está beeem mais pra cima. Ainda um resquício de carência me bate, uma falta de ter Um Alguém Especial com quem dividir minha vida, mas confiança de que tudo vai dar certo. Ou pelo menos tão certo quanto possível, hehehe... Agora estou em férias por 15 dias, volto em 13 de outubro. Nada de planos, apenas descansar bastante, fazer o peeling, e cumprir mais uma etapa nesse meu plano Por uma Vida Menos Ordinária!

24 de setembro de 2009

Pensamento inútil da vez: será que homens também passam por algum tipo de TPM? Obviamente falta o M da equação, mas talvez exista uma época em que a gente se sinta mais susceptível ao que os outros falam, mas sensível, mais irritadiço... Ou será tudo frescura da minha cabeça? Será tudo fruto do estresse, sinal mais do que claro que as férias são ultranecessárias? Fato é que eu tenho feito um esforço enorme pra conter minha irritação, frustração e carência (ou, como eu as tenho chamado, as Irmãs Cajazeira da Minha Vida) e não descontar em quem não merece. Principalmente nos meus amigos.

Teve uma época em que meu bode expiatório era a família. Eu chegava em casa cinco minutos depois da minha tromba, estava sempre de mau humor, uma coisa horrorosa. Agora isso mudou, thank God, acho que minha família já tem problemas demais pra ter que aturar ainda mais essa. E não é que eu fique alugando os meus amigos, não, muito pelo contrário. Mas acabo pensando (irracionalmente, se é que isso é possível) que eles podiam também ser mais sensíveis e perceber que não, não tá tudo bem, que eu também passo por dificuldades às vezes...

Não sei, acho que eu ando tão instatisfeito com a minha vidinha besta que fico procurando problemas e brigas com as quais sei lidar (ou pelo menos já sei o que esperar). Fato: sei que preciso mudar de atitude. Ainda não sei como, de que maneira exatamente, mas já sei que preciso. Preciso fazer alguma atividade, conhecer pessoas. Não ficar tão dependente assim, remoendo o que cada um dos meus (poucos) queridos mais próximos estão fazendo, e que tipo de experiência eu posso estar perdendo. Sim, sei que é besteira pensar assim, mas nunca consegui escolher ou simplesmente afastar pensamentos indesejados. Se alguém consegue fazer isso sem esforço, por favor me explique como, ou invente um curso, deve render uma grana ferrada.

Post-desabafo. A primeira vítima é sempre a coerência, mas tudo isso deve passar. Sempre passa, esse é o meu consolo.

20 de setembro de 2009

Eis-me aqui postando. Quem me conhece sabe que pode me dar os cinco minutos a qualquer momento, meu humor ir parar lá no dedão do pé e eu querer ir embora de onde eu estiver, não importa a hora ou a distância de casa. Hoje foi um dia desses. A novidade é que isso me aconteceu numa sauna. E não foi por falta de propostas. Não é engraçado? É, também não achei. Pelo menos consegui voltar em mais ou menos uma hora.

19 de setembro de 2009

Putz, mais uma cara sem postar. E o que eu faço quando deixou de postar e quero dar um up? Troco o layout, é claro. Já ouvi dizer, acho que em algum lugar ou matéria de televisão, que pobre, quando não pode comprar móveis novos, muda de lugar. E aproveitando a compra do note a bola de vez foi a sala. Acabamos de rearranjar os móveis, pois agora com muito menos fios a coisa ficou mais fácil. Olha, gostei bastante, o espaço ficou mais arejado, mais fácil de circular. Espero que dê certo, e eu não tenha que colocar tudo de volta como estava.

E a semana foi bem cansativa. Meu chefe pegou no pé, exigindo um monte de coisas. E, como não pode deixar de ser, fico com a consciência pesada, tento dar um gás, e as coisas dão mais errado ainda! Não adianta eu me precipitar, tenho q manter a frieza! Mas como? Pelo menos ele não criou caso ontem, quando eu tive que sair mais cedo pra ir na dermatologista. Por falar nisso, marquei o peeling para 2/10, bem no meio das minhas férias. O lugar é meio longe, mas até que eu fui com a cara da esteticista, recomendada por uma amiga da minha irmã, então vale a pena o esforço. Ela disse que eu tenho que fazer o peeling de fenol mesmo para as cicatrizes da acne, mas que a primeira descamação acontece em 4 dias. O preço está na média em que eu imaginava, então é só eu não cometer nenhum disparate que dá pra encaixar no orçamento. Na volta de lá da Vila Nova Cachoeirinha, trouxe o roteador para colocar internet sem fio aqui em casa. O futuro é wirelesse, baby!

Prosseguindo essa revisão retroativa da semana, na quinta-feira teve uma coletiva de imprensa de um cliente. Não foram todos os jornalistas que eu convidei, infelizmente, mas o cliente (acho eu) ficou satisfeito. Pelo menos deu entrevistas para rádio, internet, jornais e revistas, impossível ele ter achado ruim. O fato inusitado fica por conta de eu ter encontrado a Fabia, uma ex-colega do primeiro ano do colegial. Ela se lembrou de mim antes de eu tê-la reconhecido, outro fato inédito. E o evento estava ocorrendo no Centro Britânico, a alguns metros da nossa antiga escola. Não é à toa que eu falo que fui muito mais marcado pelo colegial do que pela faculdade, que apenas foi um meio para eu conseguir determinado fim - exercer uma profissão.

E, last but not least, terça-feira! Tinha acordado cedo pra adiantar algumas coisas do trabalho, mas minha mãe está vendo as coisas pra renovar a carteirinha de transporte gratuito. Como pra isso ela precisava do laudo do ortopedista, cujo consultório fica láaaa do outro lado da cidade, e ela não anda muito em condições de fazer essa jornada, me ofereci pra ir no lugar dela, e entrar um pouco depois no trabalho, o que não ia me atrapalhar. Acho que o universo recompensa boas ações mesmo, porque passei por uma aventura digna de contos eróticos no metrô. Metrô de São Paulo + Linha Vermelha + 8hs da manhã = lata de sardinha, todo mundo sabe disso, e eu também. Mas o que eu não sabia era que ia ter um cara beeem interessante (não muito de rosto, e ninguém em quem eu investiria em outras circunstâncias, mas beeem legal de corpo), e que íamos ficar num sarro por mais de 6 estações! Não vou contar em detalhes sórdidos aqui, mas depois que eu sai para a rua minhas pernas estavam tão moles que eu pensei que fosse cair bem na rua. Aos poucos me acalmei, e continuei a viagem, mas com essa lembrança (e massagem... no ego!) pra me acalentar e enfrentar os desafios dos dias seguintes...

14 de setembro de 2009

Tenho tido muita vontade de postar esses dias, mas o impulso passa rápido. E não é nem a falta de assunto, muito pelo contrário, é assunto demais. Engraçado é que eu resolvo postar justo no começo de uma semana atribulada, em que é quase certo que vou ter que ficar até mais tarde todos os dias. History of my life...

Aliás, eu falei isso pra uma amiga do trabalho, a Roberta, tenho tido muito uma sensação ultimamente de que a minha vida anda em círculos, pro que conta realmente, sabe? Uma frustração com o lado pessoal das coisas. E não é que eu não reconheça que o lado profissional evoluiu, que o lado material também... Sou um eterno insatisfeito mesmo, fazer o quê? Mas pelo menos no aspecto material está bem legal. Aliás, este é o primeiro post que estou escrevendo no meu novo notebook, que comprei neste domingo. Lindo! E vai ser uma mão na roda para mim e minha família quando formos nos mudar. Se vamos nos mudar? Acho que sim, eventualmente. Agora com a minha irmã trabalhando como efetiva no hospital, e colocando as contas dela em ordem, podemos já cogitar a possibilidade de arrumar um apartamento ANTES e alugar a casa DEPOIS. Vamos ver o que rola.

Tem tantas coisas mais que quero escrever aqui, teve o aniversário da Camila, teve as peripécias amorosas dos meus amigos (que eu só vou escrever sobre se eles concordarem, claro!), minhas aventuras pelo reino dos exercícios... Vamos ver se eu retomo um pouco as coisas por aqui. De novo, hehehe...

3 de setembro de 2009

Acho essas listas da IstoÉ Gente meio manjadas (fala sério, Otaviano Costa?!), mas eles até que colocam umas coisas boas no meio:









31 de agosto de 2009

Este fim de semana foi corrido mas bem legal. E olha que quase azedou. Na sexta-feira meu chefe decidiu fazer um almoço com a equipe pra passar os projetos que tinha para um dos clientes, e na verdade não foi muito produtivo o almoço. Era o tipo de assunto que dá pra se resolver fácil, fácil em meia hora de conversa, talvez até menos, e acabou se estendendo por mais de duas horas. Na volta, todo mundo querendo mostrar serviço. Não sei, talvez eu também estivesse nessa vibe, mas tem gente que sabe disfarçar melhor. Esse negócio de ficar fingindo que produz quando na verdade um tá escrevendo no orkut, outro está lendo outros sites, e outro jogando xadrez... Eu fiquei tão injuriado que, depois de umas patadas que sairam sem querer, fui direto pra casa.

No sábado foi o casamento da amiga da minha irmã, em que eu e ela (a minha irmã, hehehe...) fomos padrinhos. Não conhecia nem a noiva nem o noivo, mas acho que é comum esse tipo de coisa acontecer. A cerimônia foi na capela da PUC, lá em Perdizes. Tudo muito bonito. Ainda bem que casamento hoje em dia é curto. Claro que eu tive que pegar um mega-mico! O corredor central estava muito estreito, e a decoração era com vasos enormes de vidro. Na entrada eu consegui desviar de todos, mas quem disse que funcionou na saída? Esbarrei em um e eis que vai o vaso para o chão. Sabe aquele som de vidro se estilhaçando, quando estoura uma janela ou vidro de carro? Pois é, foi mais ou menos aquilo, numa igreja lotada. Felizmente tínhamos que sair logo de lá pros noivos poderem sair também, e ninguém ligou (muito) o meu nome ao fato. Que situação! E eu ainda inaugurei uma tendência, porque foi um tal de quebrar taça, quebrar prato, derrubar bandeja durante a festa... Culminou com os noivos indo tirar uma foto com o pessoal de uma das mesas e esbarrando na mesa do champagne - vão-se dezenas de taças ao chão!

A comida esteve excelente e farta. Nada pior do que estar numa festa em que acaba alguma coisa, ou eles ficam regulando cada salgado ou doce que você ousa pegar. Não tinha muito homem bonito, mas eu até que não chutaria alguns pra fora da cama, não, hehehe... A minha irmã e suas amigas são mais exigentes, acho. Ah, sim, e acabei saindo da festa com o telefone de uma esteticista especializada em peeling! Quero ver se marco para ainda esta semana a avaliação, e consigo fazer esse bendito tratamento no fim do mês. Dedos cruzados!...

24 de agosto de 2009

Hoje à noite tive um insight. Não desses raios fulminantes de inspiração que nos caem na cabeça às vezes, foi mais algo do tipo constatação que leva ao contentamento. Não sei se vou conseguir traduzir tudo o que me veio aqui em palavras, mas farei um esforço. Não é segredo que minha auto-estima de vez em quando entra em crise. Uma das causas dela é que eu nunca consegui me lembrar das minhas aventuras e desventuras amorosas sem uma dose dupla de culpa. E tenho exemplos bem específicos que me vinham à cabeça, sempre que enveredava por essa trilha.

Lembrava da Juliana, uma menina que no final do ginásio gostava de mim. Só que naquela época eu estava no auge do um-dia-que-ninguém-me-zoa-nem-me-chama-de-nomes-é-um-ótimo-dia. Nem pensava em namorar, muito menos em ficar, e só queria fazer parte da turma. Depois teve o Humberto, que eu jurava, durante o colegial, que estava a fim do Luis, um outro menino problemático da nossa galera. Qual não foi o meu choque quando soube que ele estava a fim de mim! E nessa época eu estava agarrado ao armário como se fosse a tábua dos Dez Mandamentos, não sairia de lá nem arrastado. Acabei inventando que estava a fim da Camila, criei uma situação toda na minha cabeça e simplesmente me convenci que era realidade, tudo pra não enfrentar meus reais desejos. Por último, já prestes a me assumir e assumir para a família, em uma festa de Halloween, um menino que era uma graça veio conversar comigo e disse que EU era uma graça. Fiquei petrificado. Não soube reagir, tive medo porque estava lá em companhia da Cintia, uma amiga de longa data pra quem eu não imaginava ainda como contar tudo. Acabei inventando uma desculpa esfarrapada, e tchauzinho oportunidade...

Bom, de certa maneira acabei enfrentando esses fantasmas do passado. Contei tudo pra Cintia e hoje não temos mais segredos, dividimos tudo o que acontece, para o bem o para o mal. Fiquei com o Humberto uma vez em que nos reencontramos, há alguns anos. Não vingou, acho que o timing estava errado, mas nem me importei muito. A diferença é que antes, quando essas situações me vinham à mente, eu me recriminava, cobrava que devia ter agido de outra maneira, ter sido mais safo, mais ligado, ter mais malícia...

E hoje, pela primeira vez que consigo me lembrar, pude olhar pra trás e não pensar no que eu poderia ter feito, mas entendi que agi da única maneira que poderia ter agido (E aqui chego na parte que fica difícil traduzir em palavras). Posso aceitar que, quer meu subconsciente tenha me protegido de situações que eu não estava maduro para enfrentar, quer eu tenha dado uma sorte danada de não ter entrado nessas roubadas com pessoas mais problemáticas do que eu, foi assim que aconteceu. E, embora pudesse ter sido muito legal, nada disso me impediu nem me impede de viver tantas outras coisas tão boas quanto. Então só pode ter sido para o melhor! (Esse foi o insight: poder olhar pra trás sem cobrança, mas com compaixão!)

Então, esquecendo um pouquinho que isto é um espaço público à deriva na internet:

Fernando de ontem, eu perdôo você! Você pode não ter tido o savoir faire, a presença de espírito para enfrentar a vida que sempre achei que deveria ter, mas foi honesto com você mesmo. Não cedeu naquilo que contava de verdade. E por isso, se não por tudo mais, eu só possi dizer... obrigado!


Zac Efron. Que delícia.

19 de agosto de 2009


Hoje o dia foi corrido, corrido demais. Como ontem fiquei fora do escritório o dia inteiro, e hoje tinha uma reunião logo no começo da tarde, a manhã inteira foi dedicada a colocar as coisas em ordem. Pelo menos deu pra comprovar uma coisa: saindo mais tarde eu chego beem mais rápido e sem muvuca no ônibus, e nem fico tão depois do horário assim.

Teve duas coisinhas chatas, sim, durante o período, mas quanto menos se falar delas, melhor.

Acabei dando um perdido no trabalho depois da reunião, e 17h30 já estava de volta ao meu sacrossanto lar. Joguei bastante, trabalhei um pouco, assisti minhas novelas... Life can't get any better. Na verdade, pode sim, sempre pode, mas ando tão... contente com a minha vida! É uma sensação tão boa, quero prolongá-la ao máximo!!

Encerrando o dia, hoje é aniversário do Daniel, amigo de longa data. Mais de 6 anos, pra ser exato. Engraçado, nos conhecemos nos primórdios dos blogs, quando eu tinha 21 apenas. Não consigo me lembrar se a gente flertava pela internet antes de nos encontrarmos (na época ainda no ICQ), mas acho que a intenção era conhecermos possíveis pretendentes quando fomos assistir X-Men 2 no cinema. Sem superanalisar demais, naquela época eu estava tão carente de amigos que acho que o melhor aconteceu, e ganhei um muito querido, que abriu as portas para outras amizades também tão importantes hoje na minha vida. Claro que passou taaanta água por debaixo dessa ponte. Ficamos sem nos falar por um ano, que hoje chamamos de O Hiato. Eu passei por tantos percalços depois da morte do meu pai... Ele passou por mais outros tantos desde que praticamente se casou e se divorciou em um ano... Mas estamos aqui, ainda presentes na vida um do outro, preocupados, atentos, rindo, falando sério, dividindo as coisas. E é isso que importa no fim do dia.

Então, Dani, esse post é pra você. Em nome dos muitos anos ainda por vir! Parabéns!!

18 de agosto de 2009

Ai, ai.. Hoje o dia foi complicado. Tinha que acordar meia hora mais cedo pra chegar num cliente sem atrasos, e acordei meia hora mais tarde, por obra e graça da minha cachorra. Se não tinha ido até o fim da manhã direto. É claro que, chovendo em um dia o que deveria chover em um mês, o trânsito ficou daquele jeito... Tive de pegar duas linhas extras de ônibus, e ainda andar uns bons 2km até chegar na reunião. Felizmente deu tudo certo, consegui propor minhas ações de maneira clara. E voltei mais cedo pra casa, isso foi ótimo, ficar no quentinho, e trabalhar daqui. A cereja do bolo foi no fim do dia. Meu cliente promete uma exclusiva pra uma repórter de um portal, e, quando eu não estou lá pra acompanhar outra entrevista, ele passa essa exclusiva pra outro veículo. Óbvio que a jornalista ficou chateada, e com razão. E agora tenho esse abacaxi esperando na minha mesa amanhã. Eu mereço.

Mudando para paragens mais verdes... Não sei se é psicossomático, ou o cúmulo do sedentarismo, mas só com esses pequenos exercícios que fiz nesse dois dias já estou sentindo os músculos protestarem? Acho que vai valer a pena investir nessa malhação artesanal, que seja para desenferrujar as juntas. Agora à noite apareceram duas bolhas no meu dedo indicador direito. Engraçado é que eu não queimei, nem espetei, nem nada. Será ácido úrico, ou por causa do atrito para digitar? Sou autodidata, não cheguei a aprender datilografia (olha demonstrando a idade aí, rs...), então uso mais o indicador pra digitar, é uma droga... Vou monitorar a situação, espero que não evolua.

De resto é continuar malhando. Amanhã tenho outra reunião à tarde, em outro cliente, e muita coisa pra resolver desses, vamos ver se dá tudo certo.

17 de agosto de 2009

Coff.... coff... Putz, que poeira. Deixei isso aqui meio de lado, já saindo, indo embora... Mas ainda não fui de vez! Só que as coisas andam tão corridas. Engraçado como a inspiração me vem pra postar mais quando estou down. Quando a vida está agitada, a prioridade é fazer a tal da limonada com os limões que me aparecem, não sobra tempo!

O trabalho anda um bom exemplo disso. Eu tinha um evento marcado pra próxima quarta, três matérias importantes pra esta sexta, e uma para amanhã. Só na parte da manhã esse evento foi jogado pra setembro, surgiu outro no lugar desse, as matérias foram transferidas todas pra amanhã e vou precisar fazer uma reunião na quarta a tarde em um segundo cliente. Mas não reclamo, trabalho melhor nessa correria do que no tédio. O difícil é desligar quando chego em casa, não gosto de coisas feitas pela metade. Mas um dos meus grandes desafios na vida é entender que não dá pra resolver as coisas sozinho, do jeito que eu quero, principalmente quando isso não é responsabilidade minha.

Com os amigos e a família, tudo bem. Minha mãe tem feito a fisio de sempre, saído bastante, comprou óculos... De vez em quando bate uma depressãozinha, um desespero e vontade de mudar de casa, mas acho que acaba passando. Espero! Minha irmã decidiu sair do emprego, porque não tava rolando de efetivar ela, e ela já ia pro sétimo ano como autônoma, ninguém merece. Vai tentar passar em um concurso. Minha outra irmã e meu cunhado estão tentando ter um bebê. Não sei muitos detalhes, mas tomara que dê tudo certo, não vejo hora de ser tio!

Com os amigos tudo bem, também, apesar dos percalços e tropeços pelos quais todos nós passamos. Não vou falar muito aqui, porque cada um sabe onde o sapato aperta, mas fico contente de estar passando bons momentos com todos eles, e isso tem dado a tônica pra minha vida social, que sempre foi frágil e por isso mesmo tão cuidada.

E é isso, tenho lido os blogs que gosto, passado minhas agruras no transporte público de São Paulo, controlado minhas contas (mas sem passar por privações, that's a first!), jogado Oblivion sem parar (ô vício!), passado o ácido retinóico no rosto pro peeling (será que sai em setembro?), malhando em casa (Ok, essa é apenas testando ver se consigo me disciplinar a praticar alguma atividade física. E sim, comecei hoje, segunda-feira. Próximo!) E a vida de vocês, como é que anda?
A moderação é uma arte que eu preciso dominar.
A moderação é uma arte que eu preciso dominar!
A moderação é uma arte que eu preciso dominar!!
A moderação é uma arte que eu preciso dominar!!!

4 de agosto de 2009

Hoje, depois de quarenta dias, chegou o meu tão aguardado retorno à dermatologista. Na verdade, eu já cheguei perguntando todas as minhas dúvidas, e a consulta foi mais produtiva do que a primeira, com certeza. Ficou um gosto de anticlímax, porque ela dobrou a dosagem de ácido retinoico e me mandou usar por mais 40 dias antes de passar com ela novamente. Nesse meio tempo eu posso buscar um tratamento estético, o já mítico peeling. Como tenho algumas reuniões importantes, e minha querida irmã arrumou de ser madrinha de casamento de uma amiga - tendo a mim como padrinho - no fim deste mês, vou acabar deixando para o feriado de setembro. Tudo bem, o universo conspira pra isso, não vou lutar contra. Mas não posso negar que uma partezinha de mim fica frustrada por não poder resolver que, até então, era simples.

Em paragens mais alegres, meu pagamento caiu sem maiores surpresas este mês, e já comecei a colocar as contas em ordem. Desta vez sentei com o resto do clã para discutirmos como fazer isso, e até agora temos conseguido colocar em prática, sem precisar apertar o cinto drasticamente como em outras épocas, o que é um grande feito.

Outro pequeno grande passo que eu dei hoje. Saí com o cartão de crédito da minha mãe porque teria de almoçar fora, mas não precisei utilizá-lo quando vi que o salário já estava liberado no banco. Em outros dias mais inconsequentes, teria gastado os tubos, como aliás aconteceu no mês passado. Desta vez passei pela Santa Ifigênia, pela Liberdade, pela Paulista - e nada! Nada de programas ou games pro PC, nada de Cloth Myths de R$300, nada de livros que ainda demorariam um mês para serem lidos. O cartão não saiu da mochila. Dizem que pra assimilar um hábito você precisa repetí-lo por mais ou menos 20 dias, ou três semanas, então um já foi. Será que consigo manter assim?

3 de agosto de 2009

Putz, hoje de manhã quase que perco a hora! Também, quem manda ficar assistindo vídeos baixados até de madrugada?! Por sorte uma amiga da minha mãe ficou de passar aqui às 8hs pra elas irem a uma clínica, e eu acabei acordando com a campainha! Até minha cachorrinha tinha ferrado no sono. Ainda bem que me arrumei rápido, tomei café, e... acabei chegando apenas 6 minutos depois do meu horário. Fala sério! Sinal de que eu não preciso sair todo esbaforido.

Aliás, preciso cultivar a tranquilidade na hora de ir pro trabalho, ultimamente as pessoas não podem nem encostar no banco em que estou sentado para eu já olhar torto. Acho que isso tá fazendo mais mal do que bem. Tá certo que tem gente que abusa, mas até quem tem carro acaba tendo que aturar as outras pessoas no trânsito, que dirá alguém no ônibus. Tudo bem, eu realmente não preciso saber que o 'irmão do Radesh da novela foi baleado no Rio e só escapou porque a bala desviou na medalha da correntinha que ele usava', mas não dá pra impedir que as pessoas conversem no ônibus. Acho. Talvez.

No trabalho, hoje foi o primeiro dia depois da saída da coordenadora. Ainda estamos sem saber pra onde correr, quem é responsável pelo quê, mas aos poucos tudo se acerta. Eu só preciso lembrar que não é obrigação minha fazer as coisas acontecerem, eu não tenho mais que fazer malabarismos. Não posso embarcar de novo numas de ser peixe grande em lago pequeno, tô fora.

2 de agosto de 2009

Primeiro fim de semana do mês. Ontem minha irmã veio aqui, depois de umas semanas sem nos vermos. Íamos sair todos, mas acho que a grana curta falou mais alto, e acabamos ficando em casa mesmo pro almoço. No começo da tarde, alegria das alegrias, acaba a energia. Liguei para o Fabio e fui pra casa dele, antes de nos encontrarmos com o Daniel.

A idéia era comer algo no Pedaço da Pizza, mas a unidade dos Jardins é péssima, muito apertada, muita muvuca, não rolou. Fomos para o nosso batlocal no Athenas mesmo, onde a gente já conhece as bebidas, as comidas, as pessoas... Acabou sendo bem divertido. Sentamos bem entre duas mesas, e o carinha de uma delas estava paquerando um cara da outra. Pelo que deu pra enter com as anteninhas ligadas, o papo começou na saída do banheiro. Não sei se eles já se conheciam antes, mas admirei a desinibição de puxar um assunto assim, num barzinho. Não cheguei nesse nível ainda, de auto-estima? Concordo que, pra conhecer gente é preciso ver gente, mas leva um tempão pra superar essas barreiras auto impostas. Felizmente, isso não impede de curtir a noite.

Acabei voltando cedo, pois minha irmã ia dormir fora. Continuamos no sistema de rodízio, pra não deixar minha mãe muito sozinha. Ela fala que não liga, que não se preocupa, mas cheguei em casa às 23hs e ela estava deitada na sala, assistindo TV, quando a essa hora já está no terceiro sono, rs... Mas tudo bem, as festas na vizinhança, celebrando a trégua que o frio deu, acabaram logo depois que eu cheguei, e pude dormir tranquilo, e bastante. O domingo eu tirei pra fazer quase nada. Estou viciado em Oblivion de novo, coisa que já era de se esperar, esse jogo sempre me pega de jeito. Separei uma porrada de coisas pra doar, amanhã preciso liga para as Casas André Luis, que é a instituição com quem costumamos colaborar. Agora é baixar e assistir um bom episódio de True Blood e... cama. Que amanhã é dia de batente, e tem muita coisa me esperando.

1 de agosto de 2009

Recordar é viver, já não diz o chavão? E, como a vida anda corrida, mal do mundo moderno, por que não usar este espaço, retomando as origens, como um registro do que se passou, e um exercício para o que virá? Calma, coloquemos o drama no mínimo, foram apenas quinze dias, não dá pra se ter uma epifania e mudar tudo em tão pouco tempo. Mas as coisas estão tranquilas, as perspectivas estão em xeque, tudo preparado para passar um mês de agosto mais em ordem, sem surpresas negativas, e deixando o terreno pronto para as novidades que vêm por aí. A vida dos amigos também está agitada, em mais de um sentido, então tédio não é a preocupação para agosto. Muito pelo contrário, duro vai ser enfiar tantas coisas pra resolver, entre trabalho, casa, saúde, estética, compras, finanças, etc, etc, em apenas 31 dias. Eu disse 31? Só sobraram 30! Tá vendo... :-)

31 de julho de 2009

Antecipando a minha volta em um dia, pra comentar... novela! Justo quando todos pensavam que, enfim, dava pra elogiar um personagem gay em uma novela da Globo, resolvem fazer essa patacoada. E olha que autor e diretor são notoriamente gays. Deprimente.



Agora, mais deprimente ainda é eu ter esperado váaarios capítulos pra ver o gatinho que interpreta o personagem (até então gay, argh) aparecer pelo menos sem camisa, e é justo nessa cena que isso acontece? Melhor ficar com True Blood mesmo...

14 de julho de 2009

Em Obras


Ai, ai... Acho que preciso redefinir meu conceito de postagem aqui no blog, porque inspiração anda escassa... E nem é falta de acontecimentos, não, pelo contrário, acho que é excesso. Será que isto aqui acaba servindo mais de muro das lamentações do que registro mesmo? Não sei, mas, enquanto não chego a uma conclusão, é hora de um peqeuno hiato.

8 de julho de 2009

Herrar é Umano

Caceta. Uma semana longe daqui, poxa vida. Também, quem manda, saí na sexta-feira, e ao contrário do planejado fui parar no apê de um amigo aqui mesmo no Itaim, enchi a lata ainda no meio do tratamento pro rosto... e pronto, cai a imunidade e eu pego uma gripe! Não é o máximo? Passei o sábado e o domingo com 39° de febre, foda. Nem deu pra ir pra tosa, cortar a juba, acabei deixando pra semana que vem. E o pior é que nem dá pra chamar de cachos rebeldes o que eu tenho, só com muita boa vontade, hahahah... Mas cuido disso, sexta ou sábado, com certeza.

Entre uma correria e outra, no trabalho continua tudo tranquilo. Pra mim, né? Porque tem gente em palpos de aranha. Infelizmente não foi por falta de toques, tenho minha consciência tranquila. Aliás, uma pergunta-elucubração: por que tem gente que não pode errar? Explico. Não sou uma máquina. Deus sabe como eu tenho minha cota de cagadas, não só aqui no trabalho, em todo lugar mesmo. Às vezes falo o que não devo, ou não presto atenção em algum detalhe, e pronto, tá lá um acidente esperando pra acontecer. Agora, equívocos todo mundo comete! Não dá pra ficar sempre na defensiva, falar que é culpa dos outros, que o mundo está contra você, que não era sua responsabilidade. Isso ajuda a resolver alguma coisa? Mais fácil admitir que errou, pedir desculpas, engolir o anfíbio e solucionar o problema.

Não estou falando pra suportar injustiças, mas para lembrar de se colocar no lugar dos outros. A vida seria tão mais fácil se as pessoas fizessem isso em vez de ficar com mimimi... ou seria Me Me ME?

1 de julho de 2009

A história até aqui


Mês novo, semestre novo, hora de dar uma cara nova pro blog. Porque comigo é assim: mudou o estado de espírito, mudou tudo. Aliás, quando junho estava para começar, eu fiz um post comentando algumas coisas que esperava acontecer. Então vamos lá, porque feedback tá na moda:


Minha irmã não foi chamada pro emprego a que indiquei, mas fui naquela empresa no meio do mês e me disseram que a vaga ainda não foi preenchida porque não é tão urgente (Isso pra eles, né?).

Fui na dermato logo no começo do mês, mas pelo visto peeling não é tão fácil quanto imaginei: por 40 dias vou precisar usar um creme à base de ácido retinócio pra uniformizar e preparar a pele (Tá descamando horrores, ardendo um pouco, mas dá pra perceber melhoras, o que me estimula a continuar. Disciplina não é o meu forte, infelizmente).

Minha mãe não precisou fazer cirurgia, thank god! Ainda passou em um médico (Mastologista, vai entender?) que sofre com o mesmo problema de hérnias, umas sete acho, e conversou com ele longamente. Resultado: está fazendo fisio a cada 15 dias, mudou o medicamento que estava causando umas ausências estranhas na perna, e se tudo der certo vou começar a pagar RPG pra ela (Não é roleplaying-game, é reeducação postural mesmo).

A cama chegou! Linda. Mandaram bem quando ia completar um mês, os malandrinhos (Pra não chamar de outra coisa...). Tão bom poder me mexer sem parecer que tava partindo madeira nos joelhos! Tudo bem que veio de uma cor um pouco diferente do resto dos móveis do quarto, mas isso é secundário. De lambuja, a geladeira e o fogão novos serviram pra dar aquela sensação de renovação que há muito temos precisado em casa. E isso é só o começo. Quero ainda este ano fazer algumas atualizações de surpresa (Se bem que a mão está coçando pra comprar um notebook, ai, ai...).

E foi mais ou menos isso. Ainda não foi neste Dia dos Namorados que eu passei acompanhado. Mais sorte no próximo. Pelo menos, tirando alguns encontros com ex-colegas de faculdade pela rua, foi o único retorno inesperado, sem maiores consequências. Com o tratamento da dermato acabei adiando os planos de passar numa nutricionista só pra depois do peeling. A questão do Habite-se foi colocada de lado, mais uma vez. Vamos esperar alguma nova anistia da queridíssima Prefeitura de SP, ver se rola.

Ah, sim, no trabalho, depois de uns baixos no começo do mês, as coisas melhoraram 100% na segunda quinzena. Ou eu deveria dizer 20%? rs... Não importa, o que conta bastante também é o reconhecimento por estar fazendo um bom trabalho. Quando as pessoas até fingem que se suportam em vez de ficar em disputinhas tolas, então, não dá pra querer muito mais do que isso...

Fora isso, a Camila, uma amigona, conseguiu um emprego, pertinho de onde eu trabalho. Deu certo! Tudo bem que o povo já está colocando as garras de fora no escritório, pelo que eu soube, mas qual o trabalho que não oferece essas rivalidades no pacote? Temos que desenvolver a arte de degustar anfíbios, já falei... Não tem jeito. Acho que quando receber o primeiro salário integral deve ajudar a dissipar um pouquinho desse gosto amargo.

Fabio e Fabiano continuam com alguns revezes temporários nos respectivos, mas nada que não possam superar, ou que já não tenho enfrentado pior antes, tenho certeza. Daniel e Cintia continuam no retiro espiritual. Engraçado, os dois começaram também há pouco tempo nos atuais empregos, mas já não os vejo com frequência faz tempo, uma pena... Minha irmã diz que é normal da vida as pessoas se afastarem (Interesses diferentes, timing diferente), mas não sei se concordo. Talvez faça um posto apenas sobre isso mais pra frente.

E chega por hoje! Muitas surpresas, e que venham as de julho! Deve ser um mês mais sossegado, apenas cuidando, administrando os processos e contas, me preparando para a reta final do ano. Mal posso esperar!

29 de junho de 2009

Quiroga

Gosto de ler o horóscopo do Quiroga. Às vezes é tão indecifrável que me deixa com cara de "Quê?" por meia hora, mas o de hoje, vale a pena registrar:

Aquário
"É muito fácil melhorar de vida! É só colocar em prática tudo que a intuição informa em alto e bom som, mas que acaba sendo deixado à escanteio por causa do que aparentemente seria mais sensato praticar na vida cotidiana. "

26 de junho de 2009

As Curtas - 4

- A semana foi bem tranquila no trabalho, com os clientes comportados, e sem muitas viagens dos colegas e chefes. Confesso que na quarta-feira eu tive que sair correndo daqui, porque essas demonstrações somos-um-time me irritam na mesma proporção em que são construídas.

- Tinha combinado com a Camila de "comemorarmos" uma semana de emprego dela, mas acabou não rolando. A mãe dela a chamou de última hora, porque não estava a fim de levar a neta para a faculdade enquanto fazia uma prova, então tivemos que adiar, por pelo menos mais uma semana. Uma pena, o Fabio tinha se animado para nos encontrar também, acabamos apenas os dois dando uma volta pelo shopping, colocando os assuntos em dia. Aliás, haja assunto, vamos precisar retomar a conversa no sábado, hahaha...

- Tive que comprar uma geladeira e fogão novos com a minha mãe na semana passada, porque os antigos já estavam em petição de miséria. Entregaram na quarta-feira, lindos! E práticos, uma boa compra. Da minha cama, mesmo um mês depois da compra, nem sinal. Tsk, já vi que no sábado vou ter que ligar lá e falar a palavra mágica: Procon, pra ver se gera algum resultado. Mas realizei um sonho antigo, e espero que muitos outras aquisições importantes venham por aí.

- Comecei a aplicar o creme com ácido retinoico para deixar a pele pronta e fazer o peeling. Agora já faz uma semana. Arde um pouco, e a pele está bastante sensível. Acho que é muito cedo para perceber uma melhora, mas está bem menos oleosa. Tirando a sensação de que fui pra praia e queimado o rosto sem ter ido, dá pra usar na boa. Bom, são 6 semanas no total, faltam 5. Perseverança, certo?

- Ia me encontrar com o povo do emprego antigo hoje, mas ninguém tocou no assunto, não sou eu que vou relembrar. O pagamento com aditivos só chega mesmo na semana que vem, então nesta eu ainda estou mais do que liso. Julho já está aí, então é só me controlar um pouco este fim de semana.

- Fiquei triste pelo Michael Jackson. Não que eu gostasse demais, nem considerava um Ídolo, com letra maiúscula. Mas acho que, mesmo com todas as bizarrices e piadinhas, acho que é um dos referenciais que tínhamos, sabe? De pessoas que se tornam verdadeiras instituições? E o que era comum e certo para várias culturas e gerações... puff, c'est fini! Assustador.

22 de junho de 2009

Dúvida?


Querido blog, uma pergunta existencial.
Geralmente tenho a sensação de que a vida de todo mundo está ótima, e a minha está na fossa. Mas ultimamente, ando tão contente com a minha vida... e os amigos estão passando por umas situações tão cabeludas que só vendo! É alguma mensagem do universo que eu tenho que decifrar? Em todo caso...

19 de junho de 2009

Sobre Galinhas e Ovos


Ouvi essa história de uma mulher que trabalhava no depto. comercial de uma revista de Arquitetura. Fui redator nessa revista apenas por 3 meses, tive que sair por causa da faculdade, TCC, foi uma época agitada. Bom, não dá nem pra chamar de colega porque se eu conversei com ela 3 vezes foi muito, mas essa história eu nunca esqueci, e de lá pra cá eu pude comprovar como é verdade. É o seguinte:

Num galinheiro existe dois tipos de galinha. Uma é aquela que acorda bem cedo, logo que o galo canta, bota um ovo atrás do outro, quietinha, sem dar um pio, desanimada, fica até tarde botando... Essa é a primeira que é escolhida pro ensopado de domingo. E tem a outra, aquela que mal bota um ovo já sai gritando: “Cóóóóóóó-có-có-cóóóóóóó!” (nem sei se é assim que galinha grita, viagem comigo). Essa o fazendeiro presta atenção na hora, vê o esforço que ela fez pra botar o ovo, e pensa: “Se pra um ovinho assim ela fez tudo isso, imagina se eu der mais ração, mais espaço, e etc, o que ela pode me trazer”.

Moral da história, queridos: tudo que eu escrevo aqui no blog é uma versão editada-desabafo. E essas pequenas confusões deste mês me renderam o melhor feedback que eu tive na minha profissão até hoje, de alguém que eu respeito mesmo com todas as suas idiossincrasias, e de lambuja abocanhei o aumento que esperava.

Fim :0)

Comentando os comentários:
Mauri, faz bem. Não vale a pena estressar com coisa pouca meeesmo. Tem-se que desenvolver a arte de desgustar anfíbios, rs...

Mariposo, gostei da expressão? Não sei se Jogos de Guerra ou Táticas de Guerrilha, mas vou adotá-la, resume bem esse mundinho da comunicação corporativa, hehehe...

Arsênico, adorei o filme! Lindo mesmo, tomara que cada vez mais tenha obras assim. Ah, e minha amiga conseguiu o emprego começou ontem, obrigado pela força! Depois preciso fazer outro post sobre isso.

Guy, não fica assustado. Eu quis dizer vida social, e ela anda pouca mesmo, comparada ao que era. Mas é por opção, parte do projeto funilaria em que estou embarcando também. Obrigado pela visita, adoro e sempre acompanho o Canudos Coloridos.

15 de junho de 2009

Um dia da caça...

O dia de hoje foi corrido, mas até que animado. O clima no trabalho até que melhorou, em parte porque eu decidi desencanar. O cliente eu atendo, mas ele não é meu, eu tenho a consciência de que dou o máximo - no horário em que trabalho, claro, porque não recebo hora extra e tenho vida própria (mínima, mas tenho, rs...). Bom, correu tudo bem. E ainda tive os bônus de pegar meus chefes desatentos, hahahahah... Pra ver que todo mundo comete enganos, não somos máquinas, hare baba! Um esqueceu que eu tinha passado um texto e confundiu com o seguinte, e a outra nem se ligou pra um evento de que pintou na quarta-feira e que eu já tinha mencionado pela manhã. Esse é o mal de você querer ser muito perfeito, quando tropeça tem gente de sobra pra reparar. E desta vez eu estava de camarote pra dizer: tá veeeeendo?!

Bom, fora isso, almocei novamente com a Camila, que foi chamada pra segunda entrevista no emprego que está de olho. Dedos cruzadíssimos, até o final da semana devem dar uma resposta. Sem falsas esperanças, acho que ela tem capacidade de sobra pra ser chamada. Tomara!

14 de junho de 2009

Colecionáveis

Desde o começo do ano eu tenho me entregado a um passatempo que me consumiu, e tambem a uma boa parte da minha margem de gasto no mês: colecionar Cloth Myths. Explico. Cloth Myths são edições especiais de bonecos articulados, ou action figures, do anime Saint Seiya, ou Cavaleiros do Zodíaco como é conhecido por aqui. Bom, tem toda uma cultura na internet, uma rede de fóruns e lojas virtuais e pessoas que encomendam. O barato do passatempo, confesso, é negociar e conseguir completar um set de personagens. Eu consegui completar esta semana os 12 signos do zodíaco, que já estão bonitinhos na minha estante:









Estou muito feliz! Não só realizei um sonho bem antigo, como agora tenho esse link, com uma coisa que me traz lembranças tão boas de uma época tão carente delas, como foi o início da minha adolescência. Foi o que possibilitou a esse rapaz tão encanado por ser diferentes se socializar e passar a trocar idéias com as pessoas.

13 de junho de 2009

Festa Junina (ou da frigideira para a fogueira)

Ai, ai... Interrompendo o feriado para mais uma atualização por aqui. Esta semana foi bem melhor do que a última (e também mais curta, acho que uma coisa puxa a outra). Meu chefe continuou surtado, mas à distância, lá do Planalto Central, então deu pra aguentar melhor. Pelo menos deu pra eu me entender com a coordenadora, ver que não estamos trabalhando em competição, dá pra colaborar. Infelizmente, isso não vale com um dos meus colegas. Como aturar um puxa-saco? Confesso que não aprendi essa ainda.

A Camila foi almoçar comigo, foi fazer uma entrevista perto do meu escritório. Muito gostoso, essas são as coisas boas da vida, que às vezes a gente deixa passar. Conversamos bastante, deu pra colocar a fofoca em dia, e eu conferi o novo visual dela. Tá dez, Cá!! rs... E ela já foi chamada para a segunda entrevista, já com o responsável pela área em que ela vai trabalhar. Pertinho, vai ser um prazer e um alento podermos nos encontrar com mais frequência.

Por falar em amigos, nesta quinta-feira o Fábio reuniu um pessoal no apê novo para uma mini-festa junina. O pessoal é muito bacana, e valeu apena. Quando você chega às 16hs num lugar, e só sai depois de seis horas, é sinal de que estava muito bom. E conhecer gente nova, embora eu resista um pouco, adoro!! Precisamos repetir. Eu ia me encontrar com o povo do antigo escritório num barzinho da Santa Cecília, mas saí da festa com o estômago rebelde, então não rolou. Uma pena, parece combinado? Sempre que vou me encontrar com eles acontece alguma coisa? Acho que o universo manda um sinal, sei lá...

Agora o resto do feriado quero me poupar, ficar aqui lendo, descansando... Curtindo a paz e o sossego e me preparando para a semana seguinte, vai ter bastante trabalho. Espero que os ânimos estejam mais apaziguados, não quero ser pego mais em fogo-cruzado. Sonhaaaar não custa nada... :-)

5 de junho de 2009

As bruxas, as frutas e os filhos da...

Eitcha semaninha comprida, sô! A bruxa esteve solta no emprego, começou com uma rabada coletiva do chefe (que depois descobri que era só uma "lição" pra gente), e daí foi ladeira abaixo. Não consegui muitos resultado pros meus clientes, isso é preocupante. Uma entressafra de matérias, com todo mundo cobrindo o avião que ninguém sabe, ninguém viu. Pra completar, todo mundo está num fogo cruzado naquele escritório, ontem eu tava quase gritando pra parar tudo que eu queria descer.

Pra completar, me ligam na quinta-feira dizendo que um dos meus clientes foi atropelado (!). Nada grave, parece que uma moto derrubou ele quando estava para sair do farol, e não ficou nenhum ferimento, apenas o susto. E a raiva, porque depois de ser derrubado qual pino de boliche ainda teve que enfrentar o motociclista que queria cobrar o retrovisor quebrado na queda da moto. Agora, fala sério: com tanta gente na frente na minha lista, ele vai ser atropelado? Preciso focalizar melhor esse vodu, hahahaha... Também, quem manda reclamar que saiu pouco na imprensa no mês passado? Será que foi porque se falou DEMAIS sobre um assunto, a MESMA COISA, sem novidade NENHUMA, e isso SATURA? Chega uma hora que a fonte seca?! Será que eu tenho que desenhar?!! Pelo menos a próxima semana útil é mais curta, espero que isso signifique uma quantidade menor de abacaxis pra descascar.

De resto, eu ando meio carente de novidades. O bode tá aqui do meu lado, amarrado e pastando, então não ando com vontade de sair pra badalar. Mas ao mesmo tempo ando sentido uma necessidade enorme de contato com os amigos, sair para ouvir o que anda acontecendo na vida dos outros, saber as novidades, os amores e desamores... Foda isso. Eu tenho essas fases em que não posso ver ninguém que já saio passando briga, e ao mesmo tempo sinto uma saudades desesperadas de uma época em que eu podia me dar ao luxo de ficar jogando conversa fora...

Estou antecipando meu projeto de funilaria um pouquinho, e estou tomando um suplemento vitamínico religiosamente à hora do jantar (preciso repor essas vitaminas, já que fujo de folhas e leguminosas como o diabo foge da cruz). Pra não brigar de vez com o reino vegetal, estou tentando criar o hábito de comer uma fruta por dia. E colocar mais opções de frutas no cardápio. Esta semana foi maçã, pra não assustar. Acho que na próxima será pêra (que não sei também se tem acento ou não...). E assim por diante até eu acostumar. Dedos cruzados.